fevereiro 26, 2009

Aqui Estou

Tempo de voar, chega de tentar entender...


Diariamente sou responsável pelos Certificados de Aeronavegabilidade, que atestam que a aeronave que vai cumprir determinado voo está em condições seguras de ser pilotada por alguém qualificado. E é assim que pelas 10 horas da manhã vejo chegar um piloto, com o seu capacete debaixo do braço, e sem qualquer questão, se inteira das condições em que a aeronave se encontra dirigindo-se a ela a fim de efectuar um voo de duração longa, sobre o mar, onde ninguém, caso algo corra mal, lhe poderá valer de imediato. Considero impressionante a confiança que estas pessoas têm em mim, pois na maioria das vezes nem sequer questionam, uma ou outra avaria, que deixei por resolver atestando que isso não irá implicar com a segurança da aeronave ou dos próprios tripulantes. Vejo neste acto, não só confiança, mas uma inequivoca demonstração de fé na pessoa que zela pela sua segurança, e da máquina, abdicando do controlo total sobre o resultado que ninguém conhece, mas que todos esperam que seja positivo, concentrando a sua esperança em experiencias passadas, mas cujo desfecho de cada voo será sempre uma incógnita.

Testemunho dia após dia este cenário, e asseguro-vos que a fé exigida aos intervenientes é obrigatoriamente intensa.

O livro de Hebreus (11:1), na Bíblia, diz-nos: “A fé é a certeza de já se possuírem as coisas que se esperam e a garantia das coisas que não se vêem” Muitos de nós somos confrontados com decisões que exigem o exercício de uma certa medida de fé, mesmo que não seja exactamente voar.

Daniel Gaspar

1 comentário:

LordOfTheLambs disse...

Realmente só a fé nos ensina a "voar", a saltar para aquilo que os outros chamam de escuro ou vazio, mas nós, os da fé, temos a certeza de que não saltamos para o vazio, porque confiamos naquele que nos sustente.
Gosto de ti darling!!